Centro de Arte Contemporânea Graça Morais

Também conhecido pelo Solar dos Veiga Cabral e Solar dos Sá Vargas, é uma construção setecentista, de linhas vincadamente horizontais. Em 1764, era seu proprietário o fidalgo Francisco António da Veiga Cabral, ascendente do Bispo D. António da Veiga Cabral da Câmara. Pelos meados do séc. XIX, era pertença do Conselheiro e Ministro de Estado Sá Vargas.

A fachada e o interior sofreram profundas alterações. Em 1947, após remodelado, aqui se instalou a agência do Banco de Portugal.

O edifício foi adquirido (2001) pela Câmara Municipal.”

Após concluídas obras de recuperação e ampliação, com projecto do Arquitecto Souto Moura é inaugurado dia 30 de Junho de 2008. É constituído por um núcleo de exposições permanentes, distribuído por sete salas, dedicado à pintora Graça Morais. O núcleo de exposições temporárias acolhe exposições de referência nacional e internacional. Tem como parceiros a Fundação de Serralves e o Museu Baltasar Lobo, em Zamora, pelo desenvolvimento do Projecto de Cooperação Transfronteiriça entre as cidades de Bragança e Zamora.